Cuidar e servir: compromissos da Campanha da Fraternidade 2020

Membros da Pastoral da Saúde de Salto Veloso visitam Santuários
29 de novembro de 2019
Comunidades paroquiais participam de integração de vivência e espiritualidade
3 de dezembro de 2019

Cuidar e servir: compromissos da Campanha da Fraternidade 2020

“Viu, sentiu compaixão e CUIDOU DELE” – O cuidar de Jesus e a sua disposição em servir, marca a terceira parte do Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2020, aprofundado na manhã deste domingo, 01 de dezembro, pelos participantes do Seminário Regional da Campanha da Fraternidade da CNBB Sul 4. O encontro, realizado no Centro de Formação Católica de Lages (SC), reuniu cerca de 60 pessoas das 10 dioceses catarinenses.

Os trabalhos foram iniciados com a oração do Oficio Divino das Comunidades, neste dia de luta contra a AIDS, conduzido pelos agentes da Pastoral da AIDS de Santa Catarina. Logo após, o assessor do Seminário, padre Danilo Vitor Pena, do clero da diocese de Jacarezinho (PR), apresentou as principais indicações do texto que liga a Campanha da Fraternidade de 2020 ao seu propósito de ação.

De acordo com padre Danilo, é necessária uma renovação familiar e de comunidade. “As Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil indicam que é necessário ir ao encontro das famílias em suas diversas realidades. A grande meta das nossas comunidades eclesiais missionárias, observando as luzes, trevas e as contradições inerentes à condição humana, é o acolhimento, cultivando uma Igreja de portas sempre abertas, lugar do cuidado”, declarou o assessor.

Gestos concretos – A articuladora das Pastorais Sociais do Regional Sul 4 da CNBB, Carla de Oliveira Guimarães, apresentou as duas principais ações que a Campanha da Fraternidade 2020 assume. A primeira dela é o assumir nas comunidades a Jornada Mundial dos Pobres, a pedido do Papa Francisco, como a advertência a um mundo profundamente marcado pela indiferença. A outra indicação é a realização da Coleta da Solidariedade da Campanha, que no próximo ano acontece no dia 5 de abril.

A Coleta da Solidariedade é a financiadora dos Fundos Nacional e Diocesano da Solidariedade. Do total arrecadado pela Coleta, as dioceses devem enviar 40% para o Fundo Nacional, gerenciado pela CNBB. A outra parte (60%), permanece nas dioceses para atender aos projetos locais por meio do Fundo Diocesano.

Os recursos arrecadados são destinados preferencialmente a projetos que atendem os objetivos gerais e específicos propostos pela Campanha da Fraternidade 2020. Em 2018, os 40% enviados pelas dioceses para o Fundo Nacional, somou um montante de R$ 6.844.022,56. Com esse valor, foram apoiados 179 projetos espalhados por todo o Brasil.

As 10 dioceses de Santa Catarina, enviaram para o Fundo Nacional da Solidariedade um total de R$ 393.463,99. Cerca de R$ 600,00 permaneceram para destinação em projetos locais. Somando com os 60% da coleta que permaneceu nas dioceses, o Regional Sul 4 da CNBB, em 2018, arrecadou cerca de 1 milhão de reais.

Trabalho de Grupos – Encerrando o Seminário, os participantes foram divididos em grupos para, a partir de alguns encaminhamentos, indicados no Texto-Base, pensar ações que em nível Regional podem ser realizadas levando em conta toda a proposta da Campanha da Fraternidade 2020.

Agora é hora de voltar para às dioceses, paróquias e comunidades, aprofundar a temática da Campanha da Fraternidade 2020 para a realização de ações locais, buscando, a convite do Papa Francisco, a vivência de uma Igreja em defesa da vida, samaritana e em saída. É tempo de ‘ver, sentir compaixão e cuidar’’. Os materiais da Campanha da Fraternidade 2020 estão disponíveis no site campanhas.cnbb.org.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X