Família, nosso tesouro!

Jovens Missionários em visita aos doentes
Nos caminhos da missão
7 de agosto de 2019
Residência São José comemora 30 anos
2 de setembro de 2019

Família, nosso tesouro!

Família sobre o pôr do sol

De 05 a 19 de outubro de 2014 aconteceu a primeira etapa do sínodo sobre a família: Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização”. E a segunda etapa de 04 a 25 de outubro de 2015, refletido sobre “a vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”. Os sínodos foram preparados com a participação de toda Igreja que foi convidada a responder às questões que foram enviadas pelo Papa Francisco, como uma forma de envolver a todos no levantamento da realidade da família no mundo atual. Nós da diocese de Caçador também participamos. Participaram as pastorais e movimentos, voltados para as famílias. A nossa colaboração foi importante para que o sínodo, pois expressamos nosso espírito de comunhão e participação, como queria o Papa Francisco.

Como resultado do sínodo nós recebemos a Exortação Apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia, sobre o amor da família, do Papa Francisco. Este documento nos mostra claramente a importância da família no contexto da evangelização, como nos diz o Santo Padre: “Por isso, considerei oportuno redigir uma Exortação Apostólica pós-sinodal que recolha contribuições dos dois sínodos recentes sobre a família, acrescentando outras considerações que possam orientar a reflexão, o diálogo ou a práxis pastoral, e simultaneamente ofereçam coragem, estímulo e ajuda às famílias na sua doação e nas suas dificuldades” (AL 4).

A Amoris Laetitia é um convite para que possamos fazer todo o esforço possível no sentido de ajudar as famílias viverem melhor sua vocação. É também uma demonstração do papel da Igreja como Mãe de Misericórdia que quer acolher e proteger a família. No capítulo VIII o Papa usa três verbos muito importantes: Acompanhar, discernir e integrar, os quais são fundamentais para responder às situações de fragilidade, complexas ou irregulares.

A exortação foi lançada no contexto do ano Santo da Misericórdia, por isso diz o Santo Padre: “Em primeiro lugar, vejo como uma proposta para as famílias cristãs, que as estimule a apreciar os dons do matrimônio e da família e a manter um amor forte e cheio de valores como a generosidade, o compromisso, a fidelidade e a paciência; em segundo lugar, por que se propõe a encorajar todos a serem sinais de misericórdia e proximidade para a vida familiar, onde esta não se realize perfeitamente ou não se desenrole em paz e alegria” (AL 5 ).

O desafio para nós é procurar estudar, conhecer e aplicar em nossa ação pastoral as indicações que a Amoris Laetitia nos propõe, para que possamos ter um trabalho mais eficaz e frutífero com as famílias. Daí a importância de fortalecermos em nossas paróquias e comunidades a pastoral familiar. Pois sabemos que uma pastoral familiar bem estruturada será um grande instrumento de evangelização da família. 

Pe. Valmor José de Deus

Referencial Eclesiástico da Pastoral Familiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X