Novo bispo envia carta ao Povo de Deus da Diocese de Caçador

Papa Francisco nomeia padre Cleocir Bonetti como novo bispo de Caçador
30 de junho de 2021
Monsenhor Cleocir Bonetti destaca a importância de um trabalho conjunto: “Me ajudem a ser bispo”
1 de julho de 2021

Novo bispo envia carta ao Povo de Deus da Diocese de Caçador

 O novo bispo de Caçador, Monsenhor Cleocir Bonetti, nomeado pelo Papa Francisco nesta quarta-feira, dia 30 de junho, enviou uma carta ao Povo de Deus da Diocese de Caçador. No documento ele agradece pela oportunidade, recorda seus antecessores e pede a todos que o ajudem a ser bispo.

“Abraço com alegria a missão de conduzir a Igreja diocesana de Caçador, na certeza e na confiança de que a graça divina nos acompanhará juntamente com a colaboração de todos”.

Leia a carta na íntegra:

Querido povo de Deus da Diocese de Caçador!

Com coração de pai me dirijo a vocês!

Minha saudação ao administrador Diocesano Pe. Renato Luiz Caron! Minha saudação ao bispo emérito Dom Luiz Carlos Eccel! Caros irmãos no sacerdócio! Prezados (as) religiosos e religiosas, seminaristas e vocacionadas. Estimados membros das mais diversas pastorais e movimentos, lideranças das comunidades! Saúdo respeitosamente as autoridades civis e militares e todas as pessoas de boa vontade e que fazem parte de outras Igrejas e Instituições. Saúdo todo o bom povo de Deus presente na Diocese de Caçador, agora também meu povo.

No dia 21 de junho, dia de São Luiz Gonzaga, padroeiro da juventude, recebi do Núncio Apostólico, Giambattista Diquattro, a notícia de que a Igreja, o Santo Padre Francisco haviam me escolhido como bispo da Diocese de Caçador, Santa Catarina. A liturgia deste dia lembrava o chamado, a vocação de Abrão: “Sai da tua terra, da tua família e da casa de teu pai e vai para a terra que eu vou te mostrar” (Gn 12,1).

Caros diocesanos! Elevo minhas orações aos falecidos por causa da pandemia em nossa Diocese de Caçador. Expresso minha solidariedade às famílias que recentemente perderam seus entes queridos pela Covid-19 e outras situações.

Dirijo minha atenção às pessoas que, no anonimato, estão escrevendo nossa história neste tempo de pandemia: médicos, enfermeiros (as), trabalhadores de supermercados, os que produzem o alimento e atuam no transporte, pessoal da limpeza, cuidadores, forças de segurança e de vigilância sanitária, voluntários, sacerdotes e religiosas e muitos outros.  Lembro das pessoas que diariamente infundem esperança, tendo como objetivo não semear o pânico, mas corresponsabilidade. Lembro pais e mães, avôs e avós, professores e outros que, nos pequenos gestos cotidianos, nos ensinam a enfrentar as crises levantando o olhar e estimulando a oração (cf. PC, p. 9).

Abraço com alegria a missão de conduzir a Igreja diocesana de Caçador, na certeza e na confiança de que a graça divina nos acompanhará juntamente com a colaboração de todos.

Desejo orientar meu trabalho conforme escreve o Santo Padre Francisco, na Alegria do Evangelho: “O Bispo deve favorecer sempre a comunhão missionária na sua Igreja diocesana, seguindo o ideal das primeiras comunidades cristãs, em que os crentes tinham um só coração e uma só alma (cf. At 4,32). Para isso, às vezes pôr-se-á à frente para indicar a estrada e sustentar a esperança do povo, outras vezes manter-se-á simplesmente no meio de todos com a sua proximidade simples e misericordiosa e, em certas circunstâncias, deverá caminhar atrás do povo, para ajudar aqueles que se atrasaram e, sobretudo, porque o próprio rebanho possui o olfato para encontrar novas estradas” (EG 31).

Recordo de meus antecessores e de todo o trabalho que foi sendo realizado ao longo destes 53 anos de Diocese. Queremos continuar esta caminhada juntos. Peço a vocês que me ajudem a ser bispo tendo como grande modelo o Cristo Bom Pastor. Faço um apelo para que juntos intensifiquemos nossa oração pelo fim da pandemia, pelo surgimento de mais vocações e para sermos sinais de unidade e misericórdia.

Acompanhem-nos a Santa Mãe de Deus, consolo dos aflitos e saúde dos enfermos, São José, homem bom e justo, de “coragem criativa”, e nosso padroeiro São Francisco, o “pobre de Assis”, que nos inspire um renovado amor pela vida.

Erechim, 30 de junho de 2021.

Santos protomártires da Igreja de Roma

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X