Programa de Formação Bíblica reflete sobre Jesus e seus adversários

23° Domingo do Tempo Comum: Igreja Doméstica destaca as orientações de Jesus para vivermos em comunidade
31 de agosto de 2020
Catequese em Família celebra o Mês da Bíblia
3 de setembro de 2020

Programa de Formação Bíblica reflete sobre Jesus e seus adversários

 No nono episódio do Programa de Formação Bíblica disponibilizado pelo Serviço de Animação Bíblico-Catequética da Diocese de Caçador, o encontro aborda Jesus com seus adversários. Mas, quem são os adversários de Jesus? Destacamos quatro grupos: escribas, fariseus, saduceus e herodianos.

 Escribas – Do grego aquele que escreve os documentos. Só no Judaísmo os escribas foram tidos como mestres religiosos, pelo valor da Sagrada Escritura. Há escribas de diferentes correntes. Encontramos os escribas simpáticos e os adversários. Em (Mc 12, 28), o escriba pergunta sobre qual o maior mandamento com simpatia. No entanto, em (Mt 22,35) e (Lc 12, 25), ele é apresentado como opositor. Em (Mt  8,19), um escriba quer seguir Jesus, o que leva a entender que haviam escribas cristãos.

Marcos coloca fariseus adversários vindos de Jerusalém, para a Galileia, eles compõem o sinédrio, onde são os mestres da lei. O que diferencia Jesus dos fariseus é a autoridade de Jesus, pois ele ensina como quem tem autoridade. Seu ensino é carismático e independente das autoridades constituídas. Jesus faz referência à Escritura de forma livre. O discurso de Jesus tem mensagem profética divina, reforçada com milagres.

Fariseus – Aquele que separa. Formavam um movimento político que se assumiu como movimento de piedade com destaque no século I D.C. Sua crença fundamenta-se em dois pilares: a ressurreição dos mortos e a tradição dos pais. Eles guardam o sábado e as regras de pureza. Suas regras funcionam como distinção social. Diante dos fariseus Jesus concorda com a fé na ressurreição, com os demônios que desapareceriam com a vinda do reino e que Deus e homem cooperam na produção de frutos. A discordância vem, quando Jesus transgride a lei do sábado e da pureza e a exigência do dízimo. Em contrapartida, sustenta a prática da justiça e da misericórdia que são mais importantes e verdadeiras. Com seus discípulos, Jesus incorpora uma pureza carismática irradiante que não se separa.

 Saduceus – Vem de Sadoc (família sacerdotal. Os saduceus não se apoiam na tradição dos pais. Formam uma corrente religiosa da elite judaica. Este grupo se posiciona contra os cristãos que perdem a sua base com a destruição do templo de Jerusalém. A sua vida é ligada a vida do templo, por isso, devem ter se sentido agredidos pela crítica de Jesus ao templo. São eles os citados na narrativa da Paixão como os inimigos de Jesus.

 Herodianos – Seguidores de Herodes, eram vassalos, desde os anos 40 a 36 A.C. Governavam pelos Romanos para evitar maiores conflitos. No tempo de Jesus, no norte reinavam os filhos de Herodes: Herodes Antipas e Filipe. É provável que a relação entre Herodes Antipas e Pôncio Pilatos fosse tensa. Os herodianos funcionavam como lavagem de dinheiro e lucravam com a proibição religiosa.

Esses quatro grupos se apresentam como adversários, porém, na relação de Jesus com eles, Jesus vai anunciando seu Reino e trazendo as características do rei da vida.

Clique aqui e assista ao vídeo completo da formação.

No décimo e último encontro desta primeira etapa de formação, o tema estudado será “A tradição de milagres no cristianismo primitivo” (testemunhos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X